Situações neurológicas afins e outras

AUTISMO

“Teu olhar é um desafio… janela aberta para um mar desconhecido!
Vamos desfraldar as velas do barco e sem medos, lançarmo-nos nesse mar… que é o autismo.
” 

Definição
É uma desordem neurobiológica do desenvolvimento da criança.

Caracterizada por dificuldades em várias áreas:

  • Comunicação;
  • Interação social;
  • Cognição;
  • Processamento sensorial;
  • Comportamento.

Um diagnóstico e intervenção precoce são cruciais no desenvolvimento das capacidades funcionais das crianças.

Características:

  • Resistência a métodos normais de ensino;
  • Ausência da noção de perigo;
  • Aparente insensibilidade à dor;
  • Dificuldade no contacto visual;
  • Resistência a alterações na rotina;
  • Evita o abraço;
  • Intensa atividade motora ou extrema passividade;
  • Dificuldades na interação com outras crianças;
  • Jogo repetitivo ou falha de jogo simbólico;
  • Mostra indiferença;
  • Indica as necessidades usando a mão do adulto;
  • Exploração inadequada de brinquedos e objetos;
  • Ecolália (repetição do discurso);
  • Angústia extrema sem razão aparente;
  • Rodopia objetos;
  • Capacidades motoras desiguais.

Como agir:

  • Falar positivamente – dizer o que fazer em vez do que não fazer;
  • Manter-se o mais calmo possível;
  • Não ter preocupação com o tempo – seja insistente e paciente;
  • Usar linguagem clara e precisa, com frases curtas e gestos;
  • Estabeleça rotinas diárias que facilitem a organização do seu filho;
  • Promova o convívio com outras crianças e adultos;
  • Prever alterações na rotina diária;
  • Promova o contacto físico e visual;
  • Trabalhe pela independência do seu filho;
  • Nunca se sentir só – pedir ajuda e partilhar problemas.
DEFICIÊNCIA MENTAL DISPLASIA ECTODERMICA HIPOIDRÓTICA DOENÇA ALZHEIMER

 

DOENÇA GAUCHER EPILEPSIA CONVULSÕES ESCLEROSE MULTIPLA ESCOLIOSE FIBROMIALGIA FIBROSE CISTICA FOP - FIBRODISPLASIA OSSIFICANTE PROGRESSIVA HIDROCEFALIA HIPERACTIVIDADE LEUCODISTROFIA NEUROFIBROMATOSE PARALISIA VISUAL
PÉ BOTO
RETINOBLASTOMA
RETINOBLASTOMA é um tumor maligno originário de células da retina, que é a membrana do olho sensível à luz.
A apresentação mais comum do Retinoblastoma é o reflexo pupilar branco ou o reflexo do olho de gato.

O Retinoblastoma pode ser congénito ou aparecer durantes os três primeiros anos de vida; pode afetar os dois olhos ou apenas um olho.

Pré-Diagnóstico

Com apenas 1 click você pode estar salvando muitas vidas...

Quando a luz do flash da câmara bate sobre os olhos  e reflete o branco na pupila, representa o reflexo da luz sobre a superfície do próprio tumor. Quando notar esse sintoma procure um oftalmologista para realizar os exames necessários e verificação do problema.

Diagnóstico

O diagnóstico é feito pelo exame do fundo do olho, em geral complementado pela ultrassonografia ocular e pela tomografia por computador, do olho, órbita e sistema nervoso central.

Tratamento

O tratamento do Retinoblastoma depende do seu estágio de evolução. Tumores pequenos, em geral são tratados por laser. Tumores médios são tratados por quimioterapia, braquiterapia e laser e tumores grandes, geralmente só podem ser tratados pela remoção do globo ocular. Quando há invasão do sistema nervoso central ou metástases à distância usa-se quimioterapia e radioterapia no tratamento. Os resultados são tanto melhores quando menos avançado é o estágio da doença.

SEQUELAS SEPSIS
SEQUÊNCIA DE MOBIUS
SINDROME AARSKOG
SINDROME ALCOÓLICA FETAL
SINDROME AMBRAS
SINDROME BRACHMANN DE LANGE
SINDROME DE ANGELMAN SINDROME DE ASPERGER
SINDROME DE EDWARDS - TRISSOMIA 18
SINDROME DOWN - TRISSOMIA 21
SINDROME FREEMAN SHELDON
SINDROME HIRSCHORN
SINDROME HURLER
SINDROME LENNOX GASTAUT
SINDROME NOONAN
SINDROME PRADER-WILLI
SINDROME RETT
SINDROME RUBINSTEN TAIBY
SINDROME SILVER-RUSSEL
SINDROME STUGE WEBER
SINDROME WEST
SINDROME WILLIAMS
SINDROME X-FRÁGIL
SINDROMWE COCKAYNE
SPINA BÍFIDA
VIRTILIGO